Passional

'Não foi minha culpa': mulheres no México lutam contra a violência

Mulheres Mexico busca por 46029

Algumas estavam com os filhos e outras carregavam maçaricos, tacos e martelos, preparadas para um confronto que pudesse forçar o país a enfrentar a forte violência contra as mulheres. Os protestos do Dia Internacional da Mulher foram impulsionados pela raiva contra o presidente Andrés Manuel López Obradorque apoiou por algumas semanas o ex-senador Félix Salgado Macedonio, acusado de estupro por diversas mulheres em um país que sofre com uma das maiores taxas de violência de gênero no mundo. Apesar das divisões internas no partido governante a respeito do problema, López Obrador apoiou o político antes das eleições de junho deste ano. Mulheres que usavam balaclavas pretas derrubaram parte da barricada ao mesmo tempo em que a polícia lançava granadas de atordoamento, o que gerou pequenos desmontes dos grupos. Ao menos 62 policiais e 19 civis ficaram feridos na tarde de segunda-feira, de acordo com as autoridades de segurança da Cidade do México.

Violência de gênero

Nome, Reuters. Fim do Talvez também te interesse. A nomenclatura foi cunhada em pela pesquisadora feminista sul-africana Diana Russell. Crédito, Photoshot. Meses após a experimento mexicana, Costa Rica, Guatemala e Colômbia criaram suas versões da lei mexicana. O mesmo ocorreu no Brasil. Professora do departamento de Sociologia da Universidade de Brasília UnB , Lourdes Maria Bandeira explica que a palavra é um neologismo que diferencia os assassinatos de mulheres cometidos por homens pelo fato da vítima ser do sexo feminino. Por isso, de acordo com ela, esta é uma morte caraterística dos países latinos, marcados por sociedades histórica e culturalmente machistas e patriarcais. A cidade brasileira que mais mata mulheres por crimes de ódio relacionados a questões de gênero é Barcelos, de apenas 20 mil habitantes, no interior do Amazonas.

Mulheres Mexico busca por 63124

Lideranças pró-democracia são presas em Hong Kong

Ele disse a Flores que, se ela algum dia denunciar o que aconteceu para a polícia ou contar aos seus pais, que pensavam que ela havia ido voluntariamente, ele mataria sua família. Os protestos das mulheres no México foram estridentes e às vezes violentos. As manifestantes quebraram pontos de ônibus e quebraram as janelas de delegacias.

Estupros são cometidos por contrabandistas guias e agentes de segurança

Gostaria de receber as principais notícias do Brasil e do mundo? Na domicílio para a qual a tinham levado, estava tudo escuro. No começo, os contrabandistas a fizeram cozinhar para outros imigrantes que tinham ingressado ilegalmente nos Estados Unidos. Depois, a levaram para um quarto no andar de cima, trancaram a porta e a estupraram repetidamente. Boa parte dela acontece depois que as mulheres chegam à suposta segurança dos Estados Unidos. No oeste do Texas, naquele mesmo ano, duas meninas adolescentes reportaram ter sido agredidas sexualmente por um agente da patrulhamento de fronteira dos Estados Unidos, que segundo elas as forçou a tirar a roupa, as bolinou e depois tentou convencê-las a parar de estilar ao lhes oferecer chocolates, batatas chips e um cobertor.

Suspensão de atividades

Fique em casa, em segurança, mas passe fome. Saia, ganhe dinheiro, mas arrisque sua vida. Para muitos no México, esta tem sido a escolha quase impossível da pandemia. Mulheres em vestidos curtos e com salto alto se posicionam nas calçadas na espera de homens para passarem algum tempo e gastar algum dinheiro com elas. Grandes clubes de striptease, alguns com hotéis anexos, funcionam como bordéis de facto. Assista e leia também: Holanda autoriza prostitutas a retomarem atividades, mas recomenda evitar beijos Prostitutas de Hamburgo, na Alemanha, pedem reabertura de bordéis Universo ultrapassa mil mortes por Covid, segundo universidade.

Leave a Reply

Your email address will not be published.